quinta-feira, 16 de julho de 2009

Introdução

Os cetáceos (baleias, botos e golfinhos), juntamente com os sirênios (peixe-boi), são os únicos mamíferos marinhos que passam toda a vida na água. O nome Cetáceo vem do grego Ketos que significa baleia ou monstro marinho.
Os ancestrais mais próximo dos cetáceos eram mamíferos terrestres, quadrúpedes, semelhantes a lobos ou hienas, pertencente ao grupo do mesoniquídeo (fam. Mesonychidea). Esses animais sofreram várias modificações morfológicas e para se adaptarem ao ambiente aquático e adquirirem a forma dos atuais cetáceos.
As baleias, botos e golfinhos apresentam pele lisa e contornos suaves para tornar os seus corpos mais hidrodinâmicos. Sua anatomia interna e fisiologia também sofreram adaptações para mergulhos mais profundos e demorados.
Estudos bioquímicos e genéticos, além do estudo dos fósseis, sugerem que os atuais cetáceos apresentam uma relação muito próxima com os ungulados, tais como cavalos, vacas e porcos. Isso é reforçado através da existência de fósseis de 50 milhões de anos, que nos levam a perseguir o ancestral comum dos cetáceos e ungulados.
A ordem Cetacea está dividida em três sub-ordens: Odontoceti (cetáceos com dentes), Mysticeti (cetáceos com barbatanas) e Archaeoceti. As duas primeiras englobam as atuais 72 espécies viventes e a última é composta apenas por espécies já extintas.
Os odontocetos apresentam diversas características que os diferem dos misticetos, como o aparato alimentar, número de orifícios respiratórios, tamanho, entre outras.
ECOLOGIA
Os cetáceos são mamíferos altamente adaptados à vida aquática. Ocupam desde rios, como o boto-cor-de-rosa (Inia geoffrensis) até zonas de alta profundidade do oceano, como a baleia-fin (Balaenoptera physalus). A baleia-fin e outras como a baleia jubarte (Megaptera novaeangliae) apresentam um comportamento migratório em que elas se alimentam em regiões polares e se reproduzem em áreas tropicais. Possuem um complexo relacionamento social, com diversas categorias de comportamento, que vêm sendo alvo de diversos estudos atualmente. Costumam formar grandes grupos, algumas espécies como o Sotalia guianensis chegam a formar grupos de 80 indivíduos. Outras espécies podem formar grupos ainda maiores.
AMEAÇAS
Diversas são as formas de ameaça aos cetáceos. Poluição dos habitats, capturas acidentais (em redes de espera) e intencionais (com arpões), acidentes com embarcações, sem contar que, em alguns países ainda é permitida a caça de cetáceos, são apenas algumas das ameaças sofridas por estes animais . No brasil a captura, moléstia e perseguição de qualquer animal, sem a devida autorização dos órgãos competentes, é proibida. Para os cetáceos existem ainda outras medidas jurídicas de proteção:
· Portaria nº N-011, de 21 de Fevereiro de 1986
"Proibir, nas águas sob jurisdição nacional, a perseguição, caça, pesca ou captura de pequenos Cetáceos, Pinípedes e Sirênios."
· Lei nº 7.643, de 18 de Dezembro de 1987
"Fica proibida a pesca, ou qualquer forma de molestamento intencional, de toda espécie de cetáceo nas águas brasileiras."
· Portaria nº 2.306, de 22 de Novembro de 1990"Fica proibido qualquer forma de molestamento intencional a toda espécie de cetáceo nas águas jurisdicionais brasileiras."


Curiosidades
As Baleis são Pexes ou Mamiferos?
Quem arriscou um "peixe", passou longe, baleias são mamíferos, não peixes. Porém, para a indústria baleeira, elas não passam de um peixe grande. São como os demais mamíferos, inclusive o homem, respiram através de pulmões, possuem sangue quente, tem um processo de gestação longo e quando dão luz seus filhotes já estão desenvolvidos, crescem sendo amamentados por suas mães. Normalmente um filhote nasce a cada um ou dois anos, sendo preciso mais um monte de cuidados maternais, até que possa sobreviver sozinho, só após muitos anos atinge a maturidade. E esse é apenas um dos inúmeros motivos, que sua recuperação no meio ambiente seja tão difícil, a exploração comercial é bem mais rápida que a natureza nesse caso. Ainda pouco se sabe sobre os aspectos biológicos das baleias, com uma vida completamente adaptada a água, quando submersas comunicam-se através de uma série complexa de estalos, cliques e assobios. As jubartes, por exemplo, são famosas por sua comunicação parecer uma "canção", melodias que os machos fazem durante a época de acasalamento, o que dura um longo período. Existem 12 espécies de baleias chamadas de "verdadeiras". Possuem barbatanas no lugar de dentes, em vez de mastigarem, filtram o alimento da água, porém existem suas exceções como é o caso da orca e a beluga. Você deve ter estranhado algumas espécies de botos e golfinhos que estão relacionados acima, na verdade estão lá por dois motivos: primeiro porque são parentes das baleias e segundo lugar, por terem este parentesco a Equipe achou que para sua maior comodidade na pesquisa estas espécies deveriam ser relacionadas juntas.Algumas espécies são encontradas em grandes grupos com uma forte organização social, na qual os indivíduos protegem outros que estão doentes, são jovens ou quando se alimentam. Após décadas de pesquisa, ainda não se pode ter dados construtivos sobre a taxa de crescimento da população de baleias, da mesma forma que estudos sobre a natalidade ou das taxas de mortalidade natural dos filhotes ou de animais jovens também não podem ser exatas. Mesmo hoje com tanta tecnologia, a contagem desses animais ainda são estimativas, sendo muito difícil determinar um número exato nesta questão. E para piorar a situação a indústria baleeira não reconhece esse problema. Determinando estimativas a favor da caça.É bem simples saber que a caça as baleias favorece uma parcela muito pequena da população mundial, quantas pessoas já comeram ou já utilizaram algum produto derivado desses animais, ou ainda, qual seria a necessidade do consumo da baleia, com incrível quantidade e diversidade de alimentos que há em nosso planeta e nunca é demais lembrar que se pessoas e são milhares ainda passam fome nos dias de hoje, este problema reflete somente em questões sociais, ou seja, uma má distribuição de renda, afinal a produção de alimentos do planeta é mais que suficiente para a população que vive hoje no planeta. Por isso a questão da caça às baleias, vai além de um simples romantismo de ecologistas como pensam muitos. Apesar de muitas pessoas ainda não acreditarem, o desaparecimento desses animais de nosso ecossistema afetará o próprio homem, como acontece em todos os outros casos de extinção de animais, as pessoas precisam saber um pouco mais sobre cadeia alimentar, ecossistema e meio ambiente, porque essas expressões não são apenas lembranças das aulas de biologia. A questão é bem simples: Porque protegê-las? Eu responderei ao primeiro que me disser porque não.

Mais Curiosidades

As baleias respiram por buracos no topo da cabeça, as que não possuem dentes apresentam dois orifícios, as com dentes apenas um.Os cetáceos eram mamíferos terrestres que retornaram à água há cerca de 55 milhões de anos, a evolução da espécie transformou seus membros anteriores em nadadeiras.O maior cetáceo já encontrado foi uma baleia-azul de 31 metros de comprimento.Não gostam de águas turvas e enxergam muito bem, orientando-se pela visão e por uma espécie de sonar, emitindo o som e aguardando o eco.Sob sua pele, há uma espessa camada de gordura que funciona como isolante térmico e reserva de alimento.O turismo destinado à observação das baleias movimenta em média por ano cerca de US$ 1 bilhão.Os navios baleeiros japoneses, após a caça, preparam o animal para o comércio em duas horas.Japoneses faturam em média US$ 40 milhões por ano com a atividade da caça.

Animais Aquáticos
Existem vários tipos de baleias, a baleia-comum, a baleia azul, orcas, cachalotes, etc. As baleias comunicam-se por sons. A baleia-comum habita no Oceano e no mar aberto, com predominância no Atlântico Norte. Medindo até trinta metros de comprimento e pesando cerca de 150 toneladas, é capaz de suportar pressões de até 2.000 metros de profundidade. Possui laminas córneas, no lugar dos dentes, que filtram grandes quantidades de agua, e nas quais retêm pequenos crustáceos e peixes dos quais se alimenta. Possui uma gestação de um ano. Como não ocorre acasalamento durante os sete ou oito meses que dura a amamentação, os partos são bienais.Com uma vasta área de distribuição que abrange todos os oceanos, a baleia-comum é uma das baleias mais rápidas, podendo atingir velocidades superiores a 32 km por hora durante curtos períodos. É o maior mamífero marinho existente e o seu tempo de vida pode ir até aos 50 anos.
Alguns do tipos de Baleias existente com seu tamanho:

Baleia Azul 31m
Baleia Fin 25m
Baleia Comum 23m
Baleia Cachalote 21m
Baleia Boreal 20m
Baleia Corcunda 19m
Baleia da Biscaia 18m
Baleia Franca ou Verdadeira 17m
Baleia Azul Boreal 17m
Baleia Sardinheira 16m
Baleia Jubarte ( baleia preta) 16m
Baleia Azul Bryde 15m
Baleia Cinzenta 15m
Baleia de Bico de Baird 12m
Baleia Minke 10m
Baleia Bico de Garrafa 10m
Baleia Orca 10m
Baleia Anã 10m
Baleia Piloto 08,5m
Baleia de Cuvier 07,5m
Baleia de Bico de Pato 07m
Baleia Narval ou Unicornio do mar 06m
Baleia Pigneu Verdadeira 06m
Baleia Branca 06m
Baleia Cachalote Anã 03,7m
Baleia Golfinho 02,1m
Baleia Toninha de Dall

Beluga


Beluga(leucas de Delphinapterus)
Essas pequenas baleias chegam a medir de 3 a 5 metros, pesando de 500 a 1500 Kg. Por permanecer muito tempo na superficie e em aguas rasas, é alvo facil da caça e até de predadores terrestres, como os Ursos Polares. É comum inclusive, avistar Belugas com marcas de ferimento, causado por garras, fruto de um ataque mal sucedido de seus inimigos.A Beluga adulta é de cor branca, mais em algumas epocas do ano, pode ficar com uma tonalidade amarelada. Os filhotes são de cor cinza claro e chega ao azul com cinza depois de completar 2 anos. O lado incomum desta especie é que as vezes podem fazer expressões Faciais diferentes, mostrando inclusive uma aparencia de riso. Segundo algums estudiosos, isso tambem é uma forma de comunicação entre elas. Este animal , por viver muito proximo da costa, esta adapatado a nadar em aguas rasas, sendo inclusive, capaz de mesmo permanecendo encalhada, esperar a alta da maré para poder sair.Sua area de atuação é o Hemisfério Norte, principalmente a costa dos EUA e da Escandinávia. No verão, procuram lugares rasos, penatrando em estuários e chegando a percorrer 1000 Km nos rios. Mesmo assim, não fazem migrações extensivas, onde o percurso mais longo já documentado, foi de um grupo que saiu do mar de Bering, chegando até o rio Mackenzie, no Canadá.Sua população é desconhecida, mais estima-se que tenhas de 40.000 a 55.000 membros de sua especie no mundo. A maioria vive na Baía de Baffin, no estreito de Davis, nos mares de Barrents e Laptev.

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Baleias

Orca






































As orcas podem ser encontradas em todos os Oceanos desde as regiões polares até ás tropicais e podem ser vistas tanto em áreas costeiras como oceânicas. Os machos medem 5,2 a 9,8 metros de comprimento e podem pesar mais de 8 toneladas, entanto as fêmeas medem entre 4,5 e 8,5 metros de comprimento e pesam 4 toneladas. Podem ser encontradas sozinhas mas em geral formam pequenos grupos de 5 a 20 animais.
Tubarão Baleia






































O tubarão-baleia (Rhincodon typus) é a única espécie da família Rhincodontidae, vive em oceanos quentes e de clima tropical, além de ser a maior das espécies de tubarão e o maior peixe conhecido.
O tubarão-baleia é completamente inofensivo e alimenta-se de
plâncton por filtração.
Nomenclatura
Esta
espécie foi identificada pela primeira vez em 1828, na costa da África do Sul, mas a família Rhincodontidae foi criada apenas em 1984. O nome "tubarão-baleia" surgiu graças ao tamanho desse peixe.

Distribuição e habitat
O tubarão-baleia habita os
oceanos tropicais e de água quente. Sendo pelágico e uma espécie geralmente solitária, agrega-se de forma sazonal para alimentar-se em várias costas com alimentação abundante, como o recife de Ningaloo na Austrália, em Pemba, Útila, Honduras, Donsol, Filipinas e Zanzibar na costa do leste da África. Seu habitat fica restrito a aproximadamente 30° de latitude desses locais.
Os
machos convivem em distâncias maiores que as fêmeas, que normalmente tendem a permanecer em locais fixos.
Tubarão-baleia de 4 m, nas Maldivas.
A pele destes peixes é marcada como um “tabuleiro de
damas” de pontos claros e listras amarelas. Estes pontos são específicos em cada indivíduo, de modo que podem ser usados para identificar cada animal e fazer uma contagem exata da população.
Sua pele pode ter até 10 cm de espessura. O tubarão tem duas
barbatanas dorsais. A cauda de um tubarão-baleia tem a parte superior maior do que a inferior, mas quando adulto a diferença diminui. Os espiráculos do tubarão encontram-se justo atrás dos olhos.
O tubarão-baleia não é um nadador eficiente; o corpo inteiro está em movimento quando o animal nada. O resultado deste movimento, que é muito incomum para tubarões, é uma velocidade média ao redor de 5 quilômetros por hora.

Alimentação
O tubarão-baleia se
alimenta de plâncton, macro-algas, krill, pequenos polvos e outros invertebrados. As várias fileiras de dentes não atuam na alimentação, a água entra constantemente na boca e sai através dos arcos das brânquias. Qualquer material capturado é engolido. O tubarão pode fazer circular a água a uma taxa de até 1,7 l/s. Entretanto, também se alimenta de forma ativa, explorando concentrações de plâncton ou pequenos peixes através do olfato.
De acordo com marinheiros, os tubarões-baleia se encontram nos ar
recifes perto da costa caribenha de Belize suplementando sua dieta ordinária alimentando-se das ovas de caranhos gigantes que enxameiam nessas águas em maio, junho e julho entre a lua cheia e os quartos crescente e minguante desses meses[carece de fontes?.
Comportamento
Um comparativo entre os tamanhos do tubarão-baleia e do homem.
Quando se explica que a maioria dos tubarões não são perigosos para os
humanos, esta espécie é geralmente usada como o exemplo principal. Mergulhadores podem nadar ao redor do gigantesco peixe sem problema algum.
Os tubarões são freqüentemente vistos na
Tailândia, nas Maldivas, no Mar Vermelho, na Austrália ocidental (Arrecife de Ningaloo), na Reserva Marinha de Gladden Spit, em Belize e nas ilhas Galápagos. São regularmente vistos entre dezembro e maio nas Filipinas (Donsol). Mergulhadores afortunados também se encontraram com tubarões-baleia nas Seychelles e em Porto Rico. Entre dezembro e setembro, é bem sabido que eles nadam ao longo da baía de La Paz na Baixa Califórnia mexicana[carece de fontes?.
Reprodução
Como ocorre com a maioria dos tubarões, os hábitos
reprodutivos dos tubarões-baleia são obscuros. Baseando-se no estudo de um único ovo encontrado na costa do México em 1956, acreditava-se que eles fossem ovíparos, mas a captura de uma fêmea grávida em julho de 1996, contendo 300 filhotes de tubarão-baleia[1] indica que eles são vivíparos com desenvolvimento ovovivíparo. Os ovos permanecem no corpo e as fêmeas dão luz a filhotes com 40 a 60 cm. Acredita-se que eles alcancem maturidade sexual por volta dos 30 anos e sua longevidade é estimada como sendo entre 60 e 130 anos.
Segundo a WWF, o menor exemplar vivo da espécie foi encontrado com apenas 38 centímetros. Sua pequena cauda ficou presa em cordas de amarras de navios em
10 de março de 2009 na Baía de Sorsogon, Filipinas.

Importância para o homem
O tubarão-baleia é visado pela
pesca artesanal e pela indústria pesqueira em várias áreas onde eles se juntam sazonalmente. A sua população é desconhecida e esta espécie é considerada em perigo pela IUCN. Sabe-se que os tubarões-baleia freqüentam as águas na costa de Donsol na província Sorsogon das Filipinas. Um tubarão-baleia é, também, a principal atração do Aquário Kaiyukan de Osaka, no Japão.
No ano de 2005, três tubarões-baleia estavam sendo estudados em
cativeiro no Aquário Churaumi de Okinawa, também no Japão. Quatro tubarões-baleia, incluindo dois machos, Ralph e Norton e duas fêmeas, Alice e Trixie, são mantidos no Aquário da Georgia, que abriu em 2005 em Atlanta. As duas fêmeas foram adicionadas ao grupo em 3 de junho de 2006 com a esperança de que sua reprodução pudesse ser estudada em cativeiro. Todos os quatro tubarões foram importados de Taiwan pela UPS.

Baleia Junbarde






Baleia Jubarte Também chamada baleia-xibarte, é a baleia mais bem conhecida de todas as existentes. Realiza migrações entre as águas polares e as subtropicais; nas primeiras é onde se alimenta no inverno, enquanto nas outras dá à luz a sua única cria, denominada baleote. Pode alcançar 15 m de comprimento e o dorso é arqueado ou corcunda (daí seu nome). Costuma saltar no ar, por cima da água, deixando visível todo o seu corpo.Lançam-se sobre grandes concentrações de suas presas (invertebrados e peixes), abrindo a boca e engolindo toneladas de água junto com elas. Depois, empurram com a língua a água pra dirigi-las com força até as barbatanas, que atuam como uma grande peneira, retendo o alimento e expulsando a água.o Família dos Balenopterídeos;o Ordem dos Cetáceos;o Subordem dos Misticetos;o É classificada com o nome científico de Megaptera novaeanglia.
Baleia de Cuiver





BALEIA-DE-CUVIER
NOME POPULAR:Baleia-de-Cuvier, Baleia-bicuda-de-Cuvier
NOME CIENTÍFICO:Zyphius cavirostris
TAMANHO:7.5 metros de comprimento
PESO:3 toneladasDa família da Ziphiidae. Podem ser encontradas em todos os oceanos, em águas tropicais e temperadas. No litoral brasileiro, já foram registrados aparecimentos no Rio Grande do Sul, Paraná, Bahia, Pernambuco, Paraíba e Fernando de Noronha. Suas principais características são, corpo longo e robusto. Cabeça pequena, sem distinção nítida do rosto, seu orifício respiratório é em forma de meia-lua. Suas nadadeiras peitorais são pequenas e a nadadeira dorsal deslocada para a região caudal do corpo. Pode realizar mergulhos profundos e ficar submersa por mais de 40 minutos. Sua dieta é basicamente de lulas, peixes de águas profundas e ocasionalmente de crustáceos.Possui corpo longo e robusto com a cabeça pequena, sem uma definição nítida do pequeno bico. A nadadeira dorsal pode ser triangular ou falcada e localiza-se após o centro do dorso. Possui dois sulcos em forma de "V" na região da garganta. Possui apenas dois dentes na mandíbula, que são visíveis mesmo quando o animal está com a boca fechada.Sua gestação dura aproximadamente 16 meses, nasce apenas uma cria com cerca 2,5 metros.Alimentam-se de lulas e peixes, ocasionalmente crustáceos e peixes.Sofrem a caça por parte dos japoneses no Pacífico norte.
Baleia Piloto de Peitorais Curtas







Nome Popular: Baleia-piloto-de-peitorais-curtas
Nome Científico: Globicephala macrorhynchus

terça-feira, 14 de julho de 2009

Baleias 1

Baleia Franca
















BALEIA-FRANCA

NOME POPULAR:Baleia-franca, Baleia-franca-do-sul, Baleia-franca-austral, Baleia-preta, Baleia-lisa, Baleia-verdadeira
NOME CIENTÍFICO:Eubalena australis
TAMANHO:15 a 18 metros de comprimento
PESO:40 a 80 toneladasUma das mais impressionantes baleias do mundo e como todas as outras, sabemos muito pouco sobre a espécie. Pesquisadores acreditam que a fêmea tenha filhotes de 3 a 4 anos. Alimenta-se basicamente de krill. Vivem geralmente em grupos de 3 indivíduos. Encontra-se distribuída em todos os oceanos do Hemisfério Sul. No Brasil, pode ser observada especialmente a poucos metros da costa durante os meses de inverno e primavera desde o Rio Grande do Sul até o sul da Bahia. O litoral de Santa Catarina representa uma importante área de concentração durante seu período migratório de reprodução devido as suas inúmeras baías e enseadas de águas calmas, que propiciam um habitat ideal para fêmeas acompanhadas de filhotes. As fêmeas são ligeiramente maiores que os machos. Devido a sua maneira lenta de nadar, foi uma das espécies mais predadas em todo o mundo. Caracteriza-se por suas calosidades brancas e regiões ásperas na pele. Pode carregar pequenos animais presos a seu corpo, como piolhos de baleia e cracas, que aderem-se à sua cabeça e na região maxilar. Sua boca é grande e arqueada. A coloração é preta com manchas brancas no ventre. Possui de 205 a 270 pares de barbatanas que medem cerca de 2m de comprimento. Vários machos copulam alternadamente com uma só fêmea. Sua gestação dura cerca de 10 meses. As fêmeas dão à luz a um único filhote que ao nascer mede entre 4m a 6m. A amamentação dura aproximadamente um ano. O intervalo entre as crias é de 2 a 5 anos. Apresenta geralmente hábitos costeiros, chegando a poucos metros da arrebentação, o que pode dar a falsa impressão de que está encalhando. Devido a espessa camada de gordura seu nado é lento e elas podem ficar horas boiadas na superfície. No entanto, podem surpreender com saltos e batidas de nadadeiras. Tem como seus principais inimigos naturais a orca e tubarões.Geralmente, nada sozinha ou em pares de fêmea e filhote. Grupos maiores, de até 12 indivíduos, podem ser observados durante o período reprodutivo. São curiosas e se aproximam de embarcações. A baleia-franca foi um dos principais alvos da caça baleeira, o que levou a uma drástica redução de suas populações.

Baleia Cinza




Baleia Cinza

Espécie de tamanho médio que atualmente habita somente a zona norte do oceano Pacífico. É um dos mamíferos que realiza uma das migrações mais longa, pois percorre uma distância de 10.000 km desde as baías do norte do México, onde a fêmea dá à luz a sua cria no inverno, até o norte do mar de Behring, onde se alimenta (no verão), de invertebrados que filtra com suas barbatanas. Sua pele, salpicada de cor negra, cinza e branca, forma um desenho característico que permite diferenciar cada indivíduo.o É a única espécie vivente da família dos Escrictídeos;o Subordem dos Misticetos;o Ordem dos Cetáceos;o É a espécie classificada como Eschrichtius robustus.Parentes da baleiaA ordem dos cetáceos é uma confraria que reúne tipos dos mais variados:o O delfim ou golfinho (nome científico = Tursiops truncatus)o O cachalote (nome científico = Physeter catodon), que mora no mar.o Narval (nome científico: Monodon monoceros), que é bem menor, não passa de 6 metros.o A orca (nome científico = Orcinus orca), que é uma espécie de ovelha negra entre os pacíficos cetáceos. Ferocíssima, vive em bandos, que atacam as baleias e as dilaceram completamente ainda vivas, sem ligar a mínima importância ao parentesco.Derivados da baleiaDurante quase toda a Idade Média, o objetivo principal da caça era a carne do animal. Já no século XVIII, aproveitava-se a gordura. Da gordura, parte da carne, dos ossos e até das tripas, podem extrair-se, com um sistema de pressão à vapor, perto de 25 toneladas de óleo ou 160 barris para fazer sabão e margarina. Do fígado provém o óleo riquíssimo em vitamina A, e do espermacete - substância gordurosa sólida da região frontal da cabeça - retira-se o óleo usado antigamente para a fabricação de velas e que vem sendo cada vez mais utilizado na indústria têxtil, de lubrificantes e cosméticos.Os derivados da baleia abrangem desde marfins das barbatanas até rações animais, carne congelada comestível, extratos de carne e fígado, extratos hormonais e fertilizantes (da carcaça).Classificação científicaAs baleias, os delfins e as toninhas pertencem à ordem dos Cetáceos. Esta ordem é subdividida em duas subordens: os Odontocetos, ou baleias com dentes, e os Misticetos, ou baleias de barbatanas.window.google_render_ad();As nadadeiras de uma baleia são membros locomotores atrofiados, remanescentes do período em que seus antepassados eram quadrúpedes. A despeito de sua aparência externa, tem uma estrutura óssea interna bem semelhante à dos membros anteriores dos mamíferos terrestres.As narinas de uma baleia localizam-se bem no alto de sua cabeça. Subindo à superfície após a submersão prolongada, expele através dela o ar quente e úmido dos pulmões, o qual se condensa em contato com a atmosfera, formando uma coluna de gotículas de água, que às vezes se ergue à altura de mais de seis metros.A cauda é grande, e constitui o principal órgão propulsor de deslocamento da baleia. O corpo é coberto por uma camada de gordura que ajuda na flutuação do animal e a manter o calor. Essa gordura também funciona como meio para armazenar energia. A audição é o sentido mais importante das baleias. Sabe-se que produzem ao menos dois tipos de sons: os que intervêm em seu sistema de ecolocalização e as vocalizações. Os sons de ecolocalização funcionam como uma espécie de sonar biológico, enquanto as vocalizações são as conhecidas canções das baleias, que parecem ser um meio de comunicação entre os membros da mesma espécie.A baleia pode viver 30 anos em média, porém já foi registrada uma baleia que chegou até os 50 anos. Pode chegar a 20 km/h.AlimentaçãoApesar de sua imensa boca, todas as baleias têm o esôfago muito estreito. Por isso, nutrem-se de pequenos peixes e organismos marinhos, que recolhem enchendo a boca de água e depois deixando-a escoar através de uma rede de 400 lâminas ósseas, as quais substituem os dentes - que as baleias não têm.RespiraçãoA baleia é um animal de sangue quente, encontrado principalmente nas águas geladas da região antártica. Os pulmões da baleia são excelentes, mas ela é extremamente econômica em matéria de respiração: desde que inspira o ar até o momento em que o expira, às vezes transcorrem até 20 minutos. Isso lhe permite mergulhar a grandes profundidades e permanecer submersa, enganando assim os baleeiros (caçadores).A foto abaixo mostra uma baleia Franca, que no século passado, foi muito caçada devido ao seu óleo, que chegou a iluminar a cidade de Buenos Aires. Hoje, essas baleias são patrimônio turístico e o seu único inimigo é a gaivota, que morde sua carne e deixa feridas sobre a pele da baleia.

Cachalote

Baleia Cachalote

Os cachalotes circulam em todos os Oceanos, especialmente em águas profundas, evitando apenas as regiões polares. O comprimento máximo registrado para machos e fêmeas é de 17 a 20 metros. O comprimento médio para as fêmeas é de 12 metros e a dos machos é de 15 metros. O peso máximo dos machos é de 52 toneladas e o das fêmeas é de 38 toneladas. As fêmeas alcançam a maturidade sexual entre os 7 e os 13 anos, e os machos entre os 18 e os 21 anos. O período de gestação varia de 14 a 16 meses. Os filhotes nascem com 4 metros e pesando 1 tonelada. Pode viver até aos 77 anos. Os cachalotes podem ser encontrados sozinhos ou em grupos de 50 animais. Os cachalotes alimentam-se de lulas, polvos e peixes (inclusivo raias e tubarões.

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Baleias 2

Baleia Boreal




NOME POPULAR:Baleia-boreal, Baleia-glacial, ou Baleia-sardinheira
NOME CIENTÍFICO:Balaenoptera borealis
TAMANHO:16 metros de comprimento
PESO:20 toneladasSua principal característica é uma excrescência córnea, em geral recoberta por pequenos crustáceos, sobre o maxilar superior. Apresenta partes brancas em sua pele, devida a ação de parasitas. Sua cabeça equivale a um quarto de seu comprimento total. Pode ser encontrada no oceano Atlântico e no oceano Pacífico norte (até Taiwan, no inverno); já no hemisfério sul vive entre 30 e 50 graus de latitude sul em águas temperadas, o que facilitava sua caça, pois é uma rota muito freqüentada pelas embarcações. A matança teve seu ápice durante os séculos XVIII e XIX. É protegida por lei desde 1935, e está atualmente em recuperação, tanto na parte ocidental do Atlântico norte quanto no hemisfério sul. Uma estimativa avalia que hoje existem alguns milhares desses animais. As fêmeas são maiores que os machos, podem chegar até 16m. Os filhotes medem 4,5 m e pesam cerca de 1 tonelada quando nascem. As baleias-boreal tem filhotes no período de 3 a 4 anos, com a gestação que leva cerca de 1 ano e a lactação até 7 meses. Tem uma longevidade próxima de 70 anos.A face dorsal do adulto, assim como as peitorais, são cinzentas escuras e a face ventral é mais clara, com cicatrizes cinzentas ou brancas, provocadas por lampreias e tubarões. Possuem cerca de 32 a 60 pregas ventrais na garganta, que se prolongam até pouco depois das peitorais. Apresentam na maxila superior de 300 a 400 pares de barbas cinzento escuras. A sua alimentação é constituída, à base de pequenos crustáceos planctónicos, embora também se alimentem de pequenos peixes como os arenques e as sardinhas. Esta espécie emite sons metálicos, com freqüências em torno de 3 kHz.São encontradas na maioria das vezes indivíduos sozinhos, no máximo em pares. Pode deslocar-se a 30 nós, com um rumo regular, sobem a superfície para respirar, o que ocorre em 30 segundos, para depois mergulharem e permanecerem de 2 a 3 minutos


Baleia Minke






BALEIA-MINKE


NOME POPULAR:Baleia-minke, Baleia-anã
NOME CIENTÍFICO:Baleanoptera acutorostrata
TAMANHO:8 a 10 metros de comprimento
PESO:8 a 13 toneladasUma das menores espécies de baleias do mundo. Costumam viver em pequenos grupos e as vezes são vistas sozinhas. Sendo vistas em grupos somente no período de alimentação. São encontradas em águas tropicais, temperadas e frias de todos os oceanos, tanto em áreas costeiras como em oceânicas. Ocasionalmente, pode penetrar em baías e estuários em águas de pouca profundidade. No verão, alimenta-se próximo dos pólos, no inverno migra para regiões mais quentes para se reproduzir e criar seus filhotes. Em algumas regiões, são conhecidas populações residentes durante todo o ano, que realizam apenas pequenos deslocamentos. No Brasil, são vistas em toda costa. Suas principais características, corpo afilado, esguio e hidrodinâmico. É a menor baleia existente dentro da ordem dos Misticetos. Sua coloração é preta ou cinza-escura no dorso, na região da barriga a coloração é branca. Em alguns indivíduos podem ocorrer manchas brancas em ambas as nadadeiras peitorais que são pequenas e pontudas. Alguns adultos apresentam marcas claras no corpo, acima das nadadeiras peitorais, em forma de parêntesis, como pode ser visto na ilustração. A nadadeira dorsal é alta e falcada e localiza-se atrás do meio do dorso. Apresenta de 50 a 70 pregas ventrais, que não chegam a se estender atrás do umbigo. A cabeça é estreita e pontiaguda, com apenas uma quilha central. Possui de 105 a 415 pares de barbatanas que medem cerca de 30cm e são de coloração branco-amarelada, cinza-escura ou preta. O borrifo é indefinido ou pouco definido em forma de coluna e atinge cerca de 2m de altura. Existem dois tipos de baleias-minke no Hemisfério Sul que diferem de acordo com a cor padrão, caracteres morfométricos e coloração das barbatanas: a forma anã de menor tamanho, com mancha branca e a forma usual de maior tamanho e sem a mancha branca.Sua maturidade sexual é atingida entre 7 e 8 anos. Sua gestação dura aproximadamente 10 meses. Com a amamentação durando de 4 a 6 meses. O filhote ao nascer pode pesar até 300Kg e medir 3m. O intervalo médio entre as crias é de 2 anos. Alimentam-se de krill, pequenos peixes que forma cardumes e lulas. Geralmente são encontradas sozinhas, em duplas ou em pequenos grupos. Grandes concentrações podem ocorrer nas áreas de alimentação. Ocasionalmente é vista na companhia de outras baleias e golfinhos. Nada rapidamente, quando salta fora da água, em geral, mergulha de cabeça sem provocar muito barulho. Raramente expõe a nadadeira caudal quando mergulha. Aproxima-se de embarcações. As vocalizações incluem pulsos de baixa freqüência, estalos e cliques ultra-sônicos.Apesar da moratória da caça de baleias ter sido decretada em 1986, proibindo a caça comercial de baleias no mundo. Atualmente a caça é realizada pelo Japão, Islândia e Noruega. Se não forem atrapalhadas pela caça podem viver pelo menos, 47 anos.




Falsa Orca




NOME POPULAR:Baleia-falsa-orca
NOME CIENTÍFICO:Pseudorca crassidens
TAMANHO:5 metros de comprimento
PESO:2.2 toneladasA
Falsa-orca possui um corpo longo e delgado. A cabeça é pequena e de forma oval. A boca é longa e curva, formando um sorriso permanente. Sua coloração é quase toda preta, interrompida apenas por uma mancha cinza-clara em forma de âncora, no ventre (entre as nadadeiras peitorais), e por outras manchas claras que podem existir nos lados da cabeça. Apresenta de 16 a 22 pares de grandes e grossos dentes. Os machos costumam ser maiores que as fêmeas.Sua gestação dura aproximadamente 15 meses, nasce apenas uma cria medindo entre 1,5 e 1,8 metros. A fase de amamentação pode chegar a 18 meses e podem viver até 22 anos.Como a orca verdadeira alimenta-se, predando animais de sangue quente, inclusive outros cetáceos, mas, em geral, alimenta-se de lulas e peixes grandes, como o atum. Podem ser encontradas em todos os oceanos, sobretudo em águas temperadas e tropicais de zonas oceânicas, embora, em águas frias, possa ser encontrada próximo à costa. No Brasil ocorre no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia e Paraíba. São constantemente ameaçadas pela competição com pescadores. No Japão, Taiwan, China e ilhas do Caribe é capturada e utilizada para consumo humano. Nos Estados Unidos exemplares desta espécie são mantidos em cativeiro para shows acrobáticos.Em geral, forma grupos de 10 a 50 indivíduos de ambos os sexos e todas as classes de idade, porém já foram vistos grupos de centenas de animais juntos. Costuma encalhar em grupos de até centenas de animais, existindo fortes laços sociais entre os indivíduos dessa espécie. No Brasil, existe um registro de encalhe em massa, de 14 falsas-orcas (8 machos e seis fêmeas), no Rio Grande do Sul em junho de 1995. No entanto, o encalhe em massa mais numeroso para a espécie ocorreu em Mar Del Plata, Argentina, em 1946, onde 835 animais vieram a dar nas praias.




Baleia de Bryde


BALEIA DE BRYDE
NOME POPULAR:Baleia-de-Bryde
NOME CIENTÍFICO:Balaenoptera edeni
TAMANHO:13 a 15 metros de comprimento
PESO:16 a 18 toneladasDa família das Balaenopteridae, tem sua distribuição em águas tropicais e subtropicais de todos os oceanos, tanto em áreas costeiras como oceânicas. É a única baleia que não realiza grandes migrações, podendo permanecer na mesma área durante todo o ano realizando grandes deslocamentos no sentido costa-mar e vice versa. Na costa brasileira, podem ser vistas no Rio Grande do Sul até o nordeste. Em outras partes do mundo são vistas em regiões próximas ao Japão, Peru, Venezuela, África do Sul e no Golfo da Califórnia.Os machos são menores que as fêmeas, em média 2 metros a menos. Costumam viver em grupos de 10 a 20 indivíduos. Porém, na maioria das vezes são vistas apenas em dupla.Seu corpo é longo e esguio, sua cabeça larga e plana, com uma quilha central proeminente e duas quilhas laterais, característica que as diferenciam das baleias-sei (Balaenoptera borealis) devido a sua semelhança. A nadadeira dorsal é alta e falcada e localiza-se atrás da metade do dorso. Sua coloração é cinza-prateada no dorso e esbranquiçada na parte ventral. Podem existir manchas claras nos lados do corpo ou entre a cabeça e a nadadeira dorsal. É comum a presença de marcas e cicatrizes ao longo do corpo. As nadadeiras peitorais são relativamente pequenas, estreitas e pontudas. Apresenta de 40 a 50 pregas ventrais que se estendem até o umbigo. Possuem de 250 a 370 pares de barbatanas, de cor escura e com comprimento médio de 45 cm. O borrifo é em forma de coluna e pode atingir até 4m de altura. As vocalizações são de baixa freqüência, principalmente pulsos.Sua gestação dura aproximadamente um ano. As fêmeas dão à luz a um único filhote que ao nascer medem cerca de 3 m e pesam 550 Kg. A amamentação dura 6 meses e o intervalo médio entre as crias é de 2 anos. Chega a viver 72 anos.Alimenta-se basicamente de peixes que formam cardumes e pequenos crustáceos.A Baleia-de-Bryde foi extensivamente caçada em todo o mundo. No Brasil, capturas para fins comerciais ocorreram na região de Cabo Frio, Rio de Janeiro, e costa nordeste. Este tipo de caça continuou até 1986, quando a Comissão Internacional da Baleia (CIB) decretou a moratória a caça comercial dessa baleia. Atualmente, capturas acidentais em redes de pesca e a degradação do habitat, constituem as principais ameaças. Um relato da degradação de seu habitat ocorreu em janeiro de 1983, quando um macho foi encontrado na Baía da Guanabara, Rio de Janeiro. Seus pulmões e estômago, estavam cheios de óleo.
Baleia Fin






BALEIA-FIN
NOME POPULAR:Baleia-fin, Rorqual ou Rorqual-de-aleta
NOME CIENTÍFICO: Balaenoptera physalus
TAMANHO: 20 a 26 metros de comprimento
PESO: 45 a 75 toneladasCaracterizadas pelas cores de seu corpo, que vai do cinza-escuro ao preto. Vivem em grupos de 6 a 10 animais, na maioria das vezes em oceanos abertos. Porém, com sorte podem ser vistas próximas à costa. É freqüente serem vistas em águas temperadas, árticas e antárticas do que nas tropicais. Seu peso varia de 45 a 75 toneladas, porém no Hemisfério Sul são ainda maiores, podendo chegar até 100 toneladas. As fêmeas são em média maiores que os machos. Apesar do tamanho, esta baleia lança-se completamente para fora da água. Esse comportamento parece estar relacionado com comunicação, que é também feita por emissão de sons de baixa freqüência, estalos e cliques ultra-sônicos. Esses sons podem ser ouvidos até a 25 km. Desloca-se até 32 km/h. Alimenta-se de krill, copépodes, outros invertebrados, arenques, pequenos peixes e lulas.

Baleia Branca


BALEIA-BRANCA
NOME POPULAR:Baleia-branca
NOME CIENTÍFICO:Balaena mysticetus
TAMANHO:20 metros de comprimento
PESO:70 toneladas
Outra espécie semelhante, e igualmente rara, é a baleia-branca. Caracterizada por sua cabeça que corresponde um terço do corpo. Está praticamente limitada ao oceano glacial Ártico. Recentemente foi localizada no mar do Japão. Também é protegida desde 1.935 por leis internacionais; algumas raras capturas são permitidas anualmente aos esquimós. Parece que está recuperando-se no setor do Pacífico e até provavelmente na região Atlântica. A Comissão Baleeira, órgão com poderes de fixar a cada ano as cotas de captura para cada espécie de baleia, criou, em 1.972, um projeto de controle internacional para garantir que frotas baleeiras e as estações de captura, com base em terra, respeitam estritamente a proibição de caçar baleias-boreais ou baleia-brancas. Porém, como ene outros casos as leis não são respeitadas.
Baleia Azul









A baleia azul vive em grupo de dois a três indivíduos, pode nadar até trinta km/ h. Esta baleia circula por todos os Oceanos. O macho pode medir até 25 metros, enquanto as fêmeas podem ir até 27 metros de comprimento. Os filhotes nascem com cerca de 7 metros e 2500kg de peso. As fileiras de cerdas da boca são totalmente pretas. Alimenta-se basicamente de krill, podendo consumir diariamente aproximadamente 4 toneladas. Sua distribuição original abrange todos os oceanos do planeta. Efectuam migrações sazonais do Equador, onde se acasalam e dão à luz os baleotes no Outono/Inverno, para as regiões circumpolares, onde se alimentam no verão. Atingem a maturidade sexual quando ultrapassam os 20m de comprimento. Não se conhece o processo de acasalamento. A gestação dura cerca de 1 ano e o baleote ingere quase 600 litros de leite por dia, podendo dobrar seu peso em 1

Baleia Sei



BALEIA-SEI
NOME POPULAR:Baleia-sei, Espadarte, Baleia-sardinha, Baleia-carvoeira, Baleia-polonesa ou Baleia-cachalote-de-cabeça-pequena
NOME CIENTÍFICO:Balaenoptera borealis
TAMANHO:15 a 20 metros de comprimento
PESO:17 toneladasAlimenta-se em águas próximas de superfície, por isto não costuma mergulhar fundo para obter seu alimento a base de crustáceos, peixes, lulas e krill. Vivem em grupos de três a cinco animais, sendo os machos os maiores. Evitam regiões polares, porém são comuns em todos os oceanos do mundo, no Brasil, pode ser encontrada em toda a costa. É o mais rápido dos balaenopterídeos. A cabeça possui apenas uma quilha central, nadadeira dorsal proeminente, facilmente visível, possui coloração cinza-escuro ou preta, com manchas ovais pelo corpo.


Baleia de Arnoux





NOME POPULAR:Baleia-de-Arnoux
NOME CIENTÍFICO:Berardius amuxxi
TAMANHO:11 metros de comprimento
PESO:8 toneladas

Caça as Baleias

A Caça
A caça de baleias já é vista nos oceanos do planeta há muito tempo, seus fins comerciais começaram no início do século XII, na região do Golfo de Biscaia, no Atlântico Norte, próximo `as costas espanhola e francesa. No final do século XIX, ainda com a utilização de arpões de mão dizimaram populações de baleias que viviam nos oceanos do Hemisfério Sul. Entre os países que participaram da caça estão os Estados Unidos, Noruega, Japão, Rússia e Inglaterra, todos países de primeiro mundo.A partir de 1920, a situação ficou ainda mais critica, após a atividade baleeira adquirir características industriais. Foi criada uma arma ainda mais eficiente na captura dos cetáceos, arpões com granadas explosivas nas extremidades, que ao serem lançadas de um canhão, era possível acertar e matar a baleia com maior precisão e êxito, independente de seu tamanho. Nesse mesmo período foi criado o navio-fábrica, uma gigantesca embarcação, onde podem içar o animal inteiro e produzir ali mesmo barris de óleo, toneladas de carne entre outros produtos, tudo num período de duas horas em média.A chacina foi tão grande que em 1931, somente na estação de caça, cerca de 30.000 baleias foram mortas, entre elas estava a baleia-franca-do-norte, que durante este período, quase foram extintas devido à rapidez que estavam sendo mortas. Nesta época a caça era praticamente feita em todos os oceanos, inclusive na costa brasileira.Nossas águas serviram a caça desde o século XVII, com predominância da caça artesanal que estendeu-se do litoral sul da Bahia até a Paraíba. O período industrial teve início após a criação da COPESBRA, em 1910, uma empresa nipo-brasileira detinha o monopólio da atividade baleeira. A empresa opera em águas brasileiras até 1986, quando o então presidente José Sarney sancionou a lei que proíbe a caça de baleias no litoral brasileiro. Mas o saldo da destruição foi imenso, durante os 75 anos de atuação no Brasil, a COPESBRA abateu cerca de 22.000 baleias de todas as espécies, segundo registros deixados pela própria empresa.Para se ter uma idéia, a baleia-fin tinha uma população de cerca de 100.000 indivíduos, hoje não passam de 2.000 no Oceano Antártico, outro exemplo, as baleias-azuis eram 250.000 indivíduos, hoje não chegam a 400 vivendo na mesma região. Estes dois casos são vistos seriamente com a possibilidade de desaparecerem do planeta.Com o forte declínio das populações de baleias, a industria foi forçada a regulamentar a caça ao redor do mundo. Em 1946, a Comissão Baleeira Internacional (CBI), com o objetivo de preservar as baleias, para que pudessem ser "devidamente exploradas", a CBI criou um "efeito dominó", que funcionava da seguinte forma: quando uma espécie estava a beira da extinção, procuravam caçar outra espécie e, claro, com o passar dos anos todas entram na lista de ameaçadas de extinção. Só neste século, foram mortas cerca de 2 milhões de baleias, cerca de 50 a 60.000 baleias por ano durante o período de caça comercial mundial, que teve seu ápice em 1961, quando a indústria atingiu a terrível marca de 70.000 animais mortos. Somente em 1986, a CBI declarou moratória por tempo indeterminado para a caça da baleia. Mesmo assim, desde que a moratória foi declarada, 14.000 baleias já foram mortas, sendo a metade de responsabilidade do Japão. Utilizando do argumento de "caça científica", essa é uma das desculpas mais hipócritas e mentirosas que já ouvi em torno do meio ambiente.Alegam que coletam dados sobre o tamanho, peso, estrutura das populações e outras informações biológicas, porém, todos sabem que tais informações poderiam ser obtidas através e pesquisas que não precisariam envolver a morte do animal. Outro país responsável pela matanças das baleias é a Noruega, que contesta abertamente a moratória e caça cerca de 500 baleias-minke por ano, com expectativa de aumentodessa cota para 2.000 animais. A Islândia, retirou-se da CBI em junho de 1992. Os dois países justificam a caça como sendo tradições em seus territórios e seus governos argumentam, que realizam uma caça sustentável e que a carne de baleia possui fontes de proteína ambientalmente correta.Quem são os caçadores tradicionais das baleias:Populações indígenas da América do Norte, Groelândia e Rússia, capturam as baleias de forma artesanal, entre as capturadas estão a minke, a fin e a jubarte.Noruega retornou a caça comercial em 1993, pressionam pelo fim da moratória que proíbe a exportação da carne e gordura das baleias.Japão, entre os anos 2000 e 2001 já caçou cerca de 560 exemplares, "para fins científicos", pura hipocrisia, um quilo de baleia chega a custar cerca de US$ 57 no mercado japonês. Ainda pressionam para que a caça se estenda até o oceano Antártico, onde esta localizado um santuário desde 1994.Como votam os membros da CBI(Comissão Internacional da Baleia)PELA ABERTURA IMEDIATA DA CAÇANoruega, Japão, Coréia do Sul, Rússia, China, Ilhas Salomão, Antígua, Barbuda, São Cristovão, Névis, Santa Lúcia, São Vicente, Granadinas, Granada e DominicaA FAVOR DO MANEJO SUSTENTÁVEL (ADMITEM EM PRINCIPIO A REABERTURA DA CAÇA)Dinamarca, Suécia, Finlândia, México, Irlanda, Chile, África do Sul, Espanha, Suíça e OmãA FAVOR DA PROIBIÇÃO TOTAL À CAÇABrasil, EUA, Inglaterra, Nova Zelândia, Austrália, Mônaco, Holanda, Argentina, França, Alemanha, Itália, Áustria e Índia











Golfinhos e Botos

Golfinho de Nariz de Garrafa


GOLFINHO-FLIPPER

NOME POPULAR:Golfinho-flipper, Boto, Golfinho-nariz-de-garrafa
NOME CIENTÍFICO:Tursiosps truncatus
TAMANHO:3.6 a 3.8 metros de comprimento
PESO:640 quilosSão encontrados em águas tropicais, subtropicais e temperadas de todos os oceanos. Pode ser encontrado tanto em águas costeiras como em oceânicas bem como mares fechados, como o Mar Negro, Mar Vermelho e Mediterrâneo. Também pode ocorrer em estuários, lagoas e canais, e ocasionalmente penetra em rios. No Brasil, ocorre desde o rio grande do Sul até a costa nordeste. Populações oceânicas podem realizar migrações sazonais enquanto as costeiras geralmente são oceânicas.Com um corpo robusto, sua coloração varia bastante entre as diferentes populações. O dorso em geral varia entre cinza-claro e cinza-escuro, e vai clareando nas laterais em direção à barriga, que é clara - branca ou rosada -, pode apresentar manto dorsal definido por coloração mais escura, e algumas vezes o manto é interrompido, abaixo da nadadeira dorsal, por uma entrada mais clara. É comum haver pintas e manchas pelo corpo. A região ao redor dos olhos é mais escura. Os adultos costumam ser muito arranhados. A nadadeira dorsal é alta e falcada, com base larga. As nadadeiras peitorais são pontudas e de tamanho moderado. O bico é curto, largo e bem separado da cabeça. Apresenta de 40 a 56 pares de dentes grossos e pouco afiados.Podem ser vistos em grupos, desde pares até centenas de indivíduos. São raras as aparições de animais solitários. Seu contato com o ser humano quase sempre é pacifico, porém um caso único no mundo, ocorrido em Caraguatatuba, no litoral norte de São Paulo, mudou esta história. O Golfinho-fliper, com cerca de 2,5m recebeu o nome de "Tião". Devido a ignorância dos banhistas que o molestavam freqüentemente, "Tião" acabou matando um banhista.Sua alimentação é a base de crustáceos, peixes e lulas. Sua identificação é feita através de marcas e cicatrizes no bordo posterior da nadadeira dorsal. As marcas e cicatrizes ao longo do corpo que os animais adquirem ao longo de suas vidas podem ajudar, como complemento, a identificar distintos indivíduos. Os pescadores inclusive conhecem cada golfinho através de marcas pelo corpo e forma da nadadeira dorsal. A maioria deles tem nomes dados pelos pescadores. O Golfinho-fliper foi a espécie que iniciou as pesquisas com cetáceos em cativeiro, em 1914. Desde então ele se transformou em objeto de inúmeros estudos sobre comportamento e fisiologia, que fizeram com que o conhecimento sobre os cetáceos fosse ampliado. É um dos cetáceos que mais bem se adaptam em cativeiro. São exibidos em oceanários em várias partes do mundo e são inclusive utilizados em programas militares e de terapias. Um seriado de TV que transformou a espécie conhecida no mundo inteiro com o nome de "Flipper".Em cativeiro, o Golfinho-fliper pode cruzar com outras espécies e produzir filhotes híbridos. As espécies envolvidas foram o golfinho-de-dentes-rugosos, a baleia-piloto, a falsa-orca e o golfinho-de-risso. Das duas últimas espécies, também existem filhotes híbridos que já foram descobertos na natureza. Os filhotes nascem medindo entre 0,8 e 1,2m e pesam cerca de 10 Kg. A amamentação dura aproximadamente um ano, mas o filhote pode começar a ingerir alimentos sólidos antes dos seis meses.


Golfinfinho Pintado


GOLFINHO-PINTADO-DO-ATLÂNTICONOME

NOME POPULAR:Golfinho-pintado-do-Atlântico e Toninha-pintada
NOME CIENTÍFICO:Stenella frontalis
TAMANHO:1.6 a 2.2 metrosdecomprimento
PESO:39 a 143 quilosPodem ser encontrados em águas tropicais, subtropicais e temperadas quentes do Oceano Atlântico, tanto em águas costeiras quanto em oceânicas. No Brasil, existem registros no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia e Ceará. Os indivíduos adultos apresentam pintas claras no dorso e escuras na barriga. O grau de pintas nos adultos é extremamente variável, tanto individualmente quanto geograficamente. Filhotes nascem cinza-claro e as pintas vão aparecendo com a idade geralmente da barriga para o dorso. A ponta do bico é relativamente fina e branca. O manto dorsal cinza-escuro possui uma mancha clara pontiaguda rompendo seu desenho arredondado logo abaixo da nadadeira dorsal. A nadadeira dorsal é alta e falcada. As nadadeiras peitorais são pontudas e proporcionais ao tamanho do corpo. A região ao redor dos olhos, normalmente é escura. Possuem de 60 a 80 dentes cônicos. A forma costeira é maior, mais robusta e mais pintada do que a oceânica. No Brasil, provavelmente existem as duas formas, mas ainda torna-se necessária uma confirmação.Vivem em grupos de vários tamanhos segregados em subgrupos por sexo e classe de idade. Em áreas costeiras podem formar grupos de até 80 indivíduos, embora sejam mais comuns grupos contendo entre 5 e 15 animais. Alimentam-se de peixes e lulas.Tem sua maturidade sexual entre 6 e 11 anos, tanto para fêmeas como para machos.A gestação dura cerca de um ano. Filhotes nascem medindo entre 0,8m e 1,2m. a amamentação dura cerca de um ano e o intervalo entre as crias é de 3 anos. Podem viver, pelo menos, até 50 anos de idade.

Golfinho de cabeça de melão


NOME POPULAR:Golfinho-cabeça-de-melão
NOME CIENTÍFICO:Peponocephala electra
TAMANHO:2.5 metros de comprimento
PESO:160 quilosPode ser encontrado no Brasil, existem alguns registros de encalhe na Bahia e em Fernando de Noronha. São caracterizados por sua cabeça arredondada, não há rosto definido, nadadeira dorsal alta e falcada, peitorais compridas e pontudas. Possui coloração escura.

Golfinho Comum

GOLFINHO-COMUMNOME POPULAR:Golfinho-comum
NOME CIENTÍFICO:Delphinus delphis
TAMANHO:2.4 metros de comprimento
PESO:
70 a 110 quilosPodem ser encontrados em águas tropicais e temperadas de todos os oceanos, inclusive em mares interiores, como o Mediterrâneo, o Mar Vermelho e o Mar Negro. Pode ser visto tanto em águas costeiras como em oceânicas, principalmente em regiões onde o relevo de fundo é bem acidentado. É comum a presença desta espécie próximo a borda da plataforma continental. No Brasil, ocorre desde o Rio Grande do Sul até o Nordeste.É caracterizado por seu corpo delgado e bico fino, seu dorso é escuro, e o ventre claro. Nas laterais do corpo, abaixo da nadadeira dorsal, forma-se um "V" escuro típico da espécie. Na frente do "V", entre a nadadeira peitoral e o bico, costuma haver uma mancha amarela. Na lateral posterior do corpo, entre o "V" e a cauda, existe uma mancha cinza. A região em volta dos olhos e a ponta superior do bico costumam ser negras, mas, visto de frente, o rostro pode ter a ponta branca. Muitas vezes a nadadeira dorsal possui uma mancha clara no centro, em ambos os lados. Possui de 80 a 120 pares de dentes pequenos e afiados.A maturidade sexual das fêmeas com cerca de 1,6m e dos machos com 1,7m. A gestação dura de 10 a 11 meses. Filhotes nascem com cerca de 0,8 a 0,9 m. A amamentação dura pelo menos 14 meses. O intervalo entre as crias é de dois a três anos. Pode viver mais de 20 anos. Alimentam-se de peixes e lulas. Seus principais inimigos naturais são os tubarões e as orcas.Comportamento e hábitos: Forma grandes grupos constituídos por animais de ambos os sexos e todas as classes de idade, mas também pode haver alguma segregação sexual. Em regiões profundas, os grupos podem ter centenas ou até milhares de animais. Em regiões costeiras o tamanho de grupo varia entre 10 a 500 indivíduos. Esta espécie apresenta fortes vínculos sociais. Pode formar grupos mistos com outros cetáceos. São ágeis, velozes e acrobatas. Saltam e nadam na proa de embarcações. As vocalizações incluem vários estalos e assobios. Sabe-se que o golfinho-comum pode mergulhar até 280 m, ficando submerso por cerca de oito minutos.Os maiores massacres provavelmente já sofridos por esta espécie ocorreram no Mar Negro, quando as companhias de pesca russas e turcas capturavam deliberadamente mais de 100 mil animais por ano. Com o passar do tempo, esta população foi declinando e a captura foi diminuindo, até que os dois países interromperam a caça em 1988.

Golfinho Toninha







GOLFINHO-TONINHA
NOME POPULAR :Golfinho-toninha ou Franciscana
NOME CIENTÍFICO:Pontoporia blainvillei
TAMANHO:1.2 a 1.7 metros de comprimento
PESO:
45 quilosPossui o rostro extremamente afilado e longo, nadadeiras peitorais curtas e largas, dorsal pequena e triangular. São encontrados em toda costa brasileira, com concentração no litoral sul do país.

Golfinho de Dentes Rugosos






GOLFINHO-DE-DENTES-RUGOSOS

NOME POPULAR:Golfinho-de-dentes-rugosos
NOME CIENTÍFICO:Steno bredanensis
TAMANHO:2.70 a 2.85 metros de
comprimento
PESO:160 quilosFormam grupos pequenos, de no máximo 50 indivíduos, sendo mais comumente observados os grupos de 10 a 20 animais. Também pode formar grupos mistos com outros cetáceos. É um golfinho especialmente inteligente. Costuma nadar na proa de embarcações e muitas vezes é visto carregando objetos sobre a cabeça, ou presos às nadadeiras ou ao bico. Carregar objetos encontrados na superfície da água. Possuem uma notável atração por objetos flutuantes e uma extraordinária capacidade manipulativa. Seu nome é proveniente das características de seus dentes derivados de diversas estrias, finas e verticais, encontradas nos seus 20 a 27 pares de dentes. Esta característica é única entre todos os cetáceos, que possuem dentes lisos, entre eles a toninha.Possui dorso escuro, cinza ou marrom, e barriga clara, branca ou rosada. Apresenta no dorso uma estreita faixa cinza-escura bem definida formando um manto com um formato de ampulheta. A ponta do bico e os lábios são brancos. Costuma ter muitas manchas e arranhões pelo corpo. Entre a cabeça e o bico.Podem ser encontrados em regiões tropicais e temperadas quentes de todos os oceanos. É considerado um animal típico de águas oceânicas. No Brasil, em águas costeiras, incluindo ilhas, canais, baías e regiões recifais. Sua distribuição abrange uma grande faixa de nosso litoral, desde o Rio Grande do Sul até o Ceará.A maturidade sexual de machos e fêmeas é alcançada a partir de 14 anos para os machos e 10 anos para as fêmeas.As fêmeas dão à luz apenas um filhote, após uma gestação de cerca de 10 ou 11 meses. O filhote nasce medindo cerca de 1,0 m. A mãe é especialmente atenciosa e carinhosa com a cria, da qual não se afasta nos primeiros dois anos após o nascimento. Podem viver pelo menos 32 anos.Alimentam-se de peixes, lulas e polvos. A curiosidade é como fazem, enquanto estão se alimentando, os golfinhos costumam dar saltos e batidas de cauda para concentrar a presa, usando táticas de pesca muito interessantes. Apresenta o curioso costume de sacudir a cabeça na superfície da água com a presa segura pelo seu rostro.

Boto Cinza



NOME POPULAR:Boto-cinza, Boto-comum, Boto, Boto-de-manjuva e Tucuxi
NOME CIENTÍFICO
:Sotalia fluviatilis
TAMANHO:1.7 a 2.2 metros de comprimento PESO:60 quilosSuas existências ocorrem em dois ecotipos, o marinho e o fluvial. A forma marinha do boto-cinza prevalece em regiões tropicais e subtropicais costeiras da América do Sul e Central comprovadamente, desde a Nicarágua até Santa Catarina. Costuma ocorrer em baías e desembocaduras de rios, em águas turvas. É a espécie típica da Baía Norte, em Santa Catarina, Baía de Guaratuba no Paraná, Baía da Guanabara no Rio de Janeiro e Baía de Todos os Santos na Bahia. A forma fluvial é endêmica ocorrendo nas bacias dos rios Amazonas e Orinoco.É um dos menores cetáceos existentes. O bico apresenta tamanho moderado. Vários tons de cinza, em geral, com o dorso mais escuro e barriga clara, branca, rosada ou amarelada. A nadadeira dorsal é triangular, de tamanho moderado e situada próximo ao centro do dorso. As nadadeiras peitorais são ligeiramente pontudas, de contorno suave. Possui de 52 a 72 pares de dentes pequenos e pouco afiados.Ambos os sexos atingem maturidade sexual com cerca de 1,40m. A gestação dura cerca de 11 meses. Os filhotes nascem medindo de 0,8m a 1,0m. Podem ser vistos em grupos de 2 a 7 animais no entanto grandes agregações com cerca de 450 indivíduos já tenham sido registradas. Desde novembro de 1997, um boto-cinza solitário e sociável tem sido observado em São Vicente, São Paulo. Esse animal, com cerca de 1,6m, aproxima-se com freqüência das embarcações de pesca e permite que as pessoas nadem nas suas proximidades. Outro caso muito curioso, é o de um pequeno cachorro que interage com grupos de botos-cinza no Parque Estadual da Ilha do Cardoso, litoral sul de São Paulo, desde 1997. Os botos demonstram claramente aceitar a presença do cachorro dentro da água, inclusive tocando-o e suspendendo-o acima da superfície. As vocalizações dessa espécie incluem estalos e assobios.Sua alimentação é basicamente de peixes, lulas e crustáceos.Sua identificação é feita através de marcas e cicatrizes no bordo posterior da nadadeira dorsal. As marcas e cicatrizes ao longo do corpo, que os animais adquirem ao longo de suas vidas, podem ajudar, como complemento, a identificar distintos indivíduos.As principais ameaças contra a espécie, são devido a seus hábitos costeiros, o boto-cinza sofre o turismo poderá vir a causar molestamentos e distúrbios. Desde 1996, um boto-cinza aceita alimentar-se de tainhas na mão de um pescador na região de Cananéia, São Paulo. Em anos recentes tem sido relativamente comuns casos de pessoas alimentando golfinhos selvagens em várias localidades do mundo. Essas atitudes podem ocasionar problemas tais como: mudanças no comportamento natural como na busca de alimentos e quebra de laços sociais; o que pode prejudicar a futura sobrevivência dos animais, perda de cautela e prudência em relação aos humanos.

Boto Cor de Rosa



BOTO-COR-DE-ROSA
NOME POPULAR:Boto-cor-de-rosa
NOME CIENTÍFICO
Inia geofrensis
TAMANHO:2 a 2.5 metros de comprimento
PESO:100 a 160 quilos Rostro longo, melão bem destacado, olhos muito pequenos, corpo alongado, nadadeira dorsal reduzida a uma corcova baixa, nadadeiras peitorais largas, achatadas e flexíveis, a dentição é do tipo heterodonte. Podem ser vistos na Bacia do Amazonas, Brasil.


Boto de Burmeister

BOTO-DE-BURMEISTER
NOME POPULAR: Boto-de-Burmeister
NOME CIENTÍFICO:
Phocoena spinipinnis
TAMANHO:1.5 metros de comprimento
PESO:40 a 75 quilos.Podem ser encontrados no Brasil, porém existem apenas dois registros de encalhe, um no Rio Grande do Sul e outro em Santa Catarina, na região sul do país. Possui rostro definido. Coloração escura e homogênea. Nadadeira dorsal triangular e deslocada.

Boto Gladiador

BOTO-GLADIADOR
NOME POPULAR:Boto-gladiador
NOME CIENTÍFICO:
Hyperoodon planifrons
TAMANHO:8 metros de comprimento
PESO:4 toneladas